Como definir o preço de revenda de uma roupa?

Como definir o preço de revenda de uma roupa?

Você já tem uma loja de roupas ou está pensando em abrir uma? Se você respondeu sim, apostamos que um dos temas que mais causa confusão e dúvidas é a questão do preço.

Quanto devo cobrar por uma saia? E por uma bermuda? Qual é preço de revenda de um vestido estampado floral?

Felizmente, existem ferramentas no mercado que lhe ajudam a responder essa pergunta. Uma delas é o agregador de preços La Madeleine: são mais de 50 mil produtos condensados em uma base de dados e separados por cor, categoria e marca. Você pode pesquisar itens por qualquer um desses critérios e ver na hora o valor médio de revenda. Ela mostra, inclusive, o valor médio de desconto oferecido na categoria para você se organizar na hora de fazer promoções.

A ferramenta é uma mão na roda para quem já tem uma operação e precisa atualizar os valores da mercadoria. Mas também pode ser útil para quem quer estimar os ganhos antes de abrir uma loja.

Mas antes de fazer a pesquisa dos preços, vamos falar um pouco sobre o tema da precificação de produtos no varejo de moda.

O que é precificar?

Precificar é basicamente definir o valor de revenda de produtos ou de venda de serviços.

Esse processo vai além de definir a margem de ganhos. Ele também tem a ver com o valor percebido pelo cliente por um produto ou serviço.

Por exemplo, de maneira geral, quem está começando um negócio costuma pensar em quanto quer ganhar com a venda de uma mercadoria. Digamos que você comprou 20 camisetas a cada R$ 5 cada e quer ter um ganho de R$ 25 por peça. Depois de calcular outras despesas gerais do negócio, você verificou que, para ganhar os R$  25, precisa vender cada peça por R$ 55. Esse é o caminho mais curto para escolher o valor de revenda de uma mercadoria.

Mas existem outros fatores que podem adicionar complexidade a esse processo.

Se a mercadoria for percebida pelo cliente como de baixo valor, ele pode deixar de comprar com você por achar que o seu preço está muito alto. Se a mercadoria for percebida como de alto valor, ele pode achar que o seu preço de venda é muito baixo.

Nos dois casos, você tem um problema: no primeiro, você perde clientes. No segundo, você deixa de ganhar.

Precificar corretamente é uma arte que envolve entender muito vem quais são os pontos fortes e fracos da sua mercadoria antes da venda.

Pesquise sempre

Por isso, é importante ter referências de valores de venda.

Imagine que um vestido estampado floral está na moda nesse momento. O valor de revenda dele pode ser mais alto do que um vestido com outra estampa, já que a procura pelo produto está em alta.

Mas, qual é a média do valor de venda?

Depende: da marca, do modelo, de onde o vestido é vendido, do material…

Nós oferecemos uma solução completa para você pesquisar o valor de mais de 50 mil itens vendidos no Brasil, masculino ou feminino. Os valores são atualizados todos os dias. Por exemplo: qual é o valor médio de uma bota de cano curto da Azaleia? A resposta é rápida: o valor promocional médio é de R$ 95, enquanto o valor de venda original costuma ficar na casa dos R$ 160.

Pra quem já vende, a vantagem está em atualizar os preços rapidamente para não ficar para trás em relação à concorrência.

Para quem vai abrir uma loja, dá para ver por quanto um produto pode ser vendido e quanto dá para faturar com uma venda.

Ferramenta permite que você pesquise rapidamente o valor indicado de venda dentro de uma categoria de produto
Ferramenta permite que você pesquise rapidamente o valor indicado de venda dentro de uma categoria de produto

Mas você também pode fazer a pesquisa manualmente. Visite várias lojas e sites de e-commerce, anote os valores e use-os como referência para precificar o seu produto.

Lembre-se: um cliente que chega na sua loja já sabe mais ou menos quanto está disposto a pagar por um produto. Ele provavelmente já pesquisou na internet valores do produto e espera que o seu preço esteja alinhado com o valor mental que ele atribuiu ao produto. 

Se você não estiver alinhado com o que o seu cliente espera, a probabilidade de perder uma venda é grande.

Apure os custos

Às vezes, o produto que você possui é maravilhoso, mas ele não cobre os custos que você tem com a sua loja.

Ao decidir quais produtos incluir no seu mix e qual preço cobrar por ele, verifique se o valor de venda cobre os custos de operação da loja.

Com o nosso relatório de preços, dá pra saber se é melhor investir em um produto ou em outro baseando-se no valor de venda do item.

Uma vez que você sabe o quanto gastou e de quanto precisa para manter a operação, é hora de definir o mix de produtos.

As faixas de preço na sua loja

Toda loja precisa de três faixas de preço, tradicionalmente chamadas de P1, P2 e P3.

A faixa P1 são os itens mais baratos em relação à faixa P2. Ou seja, são itens que tem giro rápido e que podem ser comprados por clientes que não querem sair de mãos vazias.

A faixa P2 é a faixa de referência. Ou seja, é a faixa pela qual a sua loja é conhecida.

A terceira faixa, a P3, é composta por produtos mais caros, que possuem uma margem de ganho mais alta, mas que são mais difíceis de vender.

Idealmente, você precisa trabalhar com as 3 faixas. Mas a maioria das lojas comete o erro de trabalhar com produtos de uma faixa só.

Ah, vale lembrar que um produto da faixa P1 na Dior não será o mesmo da faixa P1 de uma loja de bairro.

Para definir quais são as suas faixas P1 e P3, primeiro você precisa entender qual é a sua faixa P2.

Concluindo

Ao definir o preço de venda de um produto, muita gente comete o erro de pensar apenas no que quer ganhar.

É preciso ir além: pensar na qualidade percebida do produto, no valor médio de venda pelos concorrentes e na sua necessidade de ganho.

A definição do valor de venda começa antes mesmo da compra da mercadoria.

Faça uma pesquisa prévia para decidir se vale a pena comprar uma mercadoria com base no valor médio de revenda.

E lembre-se que você pode achar um produto maravilhoso, mas que o mais importante é entender qual o valor que o seu cliente vê no produto.